Promoções – Presença, dia de compras na net

comprovativo transf

The Bookmaking Habits of Select Species – Ken Liu

Lightspeed Agosto 2012

Este pequeno conto recorda mais um conjunto de entradas numa enciclopédia do que propriamente uma história com princípio, meio e fim. Aqui, como o título indica, descreve-se como cinco espécies inteligentes mantém registo de histórias e conhecimentos passados. E não constituindo propriamente livros, os métodos como mantém registo são tão diversos quanto as próprias espécies.

A primeira espécie (Allatians) regista numa superfície metálica, com o probóscis, as suas histórias. Escritas como se fossem uma gravação de som, lêem-se também da mesma forma, e contêm, para além das palavras, a própria entoação de quem escreveu a história. Os Quatzoli são uma espécie de origem mecânica, que constroem as gerações seguintes, a quem doam uma parte do seu próprio cérebro e memórias, que vai crescendo com a vivência do indivíduo.

Os Hesperoe, espécie inialmente guerreira, não se baseiam em registo físico das suas memórias. Antes deixam, quando morrem, um mapa tridimensional das suas memórias que permitem a quem as consulta uma interacção quase conversacional. Por sua vez os Tull-Toks são pequenos seres etéreos que tudo trespassam e tudo lêem. Finalmente, os Caru’ee dão usos peculiares aos arquivos construídos pelas restantes espécies.

Mas claro, estas são apenas descrições resumidas de métodos mais complexos e completos, que evoluem com a própria espécie sapiente, acabando por a descrever indirectamente. As entradas, carregadas de curiosidades, interligam-se entre si. No final fica o sentimento de “onde está o resto”, porque estas cinco entradas parecem apenas o aperitivo de uma enciclopédia.

A segunda história da edição gratuita da Lightspeed (Agosto de 2012) também pode ser encontrada no site oficial. Do mesmo autor podem encontrar também gratuitamente, Paper Menagerie, a história que ganhou recentemente os prémios Hugo, Nebula e World Fantasy Award,

A Separate War – Joe Haldeman

Lightspeed Agosto 2012

Correndo o risco de levar uma tareia de algum aficcionado de SF, admito que de Joe Haldeman li apenas o Mindbridge, um livro que me deixou um sentimento controverso, uma leitura que gostei sem me fascinar. Apesar de (estranhamente) existirem vários livros publicados em português (Camuflagem, Guerra Sempre ou A Máquina do Tempo Acidental são apenas exemplos), voltei a ler algo deste autor apenas com A Separate War – uma novela disponibilizada com a edição gratiuita de Lightspeed de Agosto de 2012.

E confesso que fiquei fascinada com a realidade descrita. Neste Universo os humanos estão em guerra com os Taurans, uma espécie aliegnígena com os quais não se estabelece comunicação. A personagem principal, uma mulher guerreira, acorda, após a recuperação física do último combate, num futuro distante daquele em que tem origem (século XX). Acorda num planeta lazer, um pequeno paraíso onde se podem gastar facilmente os créditos acumulados ao longo de séculos, e aguarda que o seu companheiro de longa data recupere. Após uma pequena lua de mel, são separados, colocados em missões diferentes, sem saber se algum dia se voltarão a encontrar.

Neste futuro distante não existe maternidade. O sexo é praticado dentro do mesmo género e cedo são corrigidas as tendências heterosexuais dos indivíduos. A existência da sociedade terrestre do século XX é um mito distante, da qual a nossa personagem é prova. Atirados para guerrear em diferentes épocas e locais, os que enfrentam os Taurans acumulam volumosos créditos, mas têm uma curta esperança de vida. Longe do companheiro e com a perspectiva de uma batalha sangrenta (ou que possa simplesmente suprimir soldados), a nossa personagem principal encontra-se num posto de chefia de um pelotão desconhecido, o que dificulta o estabelecimento de novos relacionamentos.

Mas tão importante quanto a realidade que descreve, a novela torna-se fascinante pela fluidez dos acontecimentos e pela empatia que se consegue sentir pela personagem e suas vivências – apesar de acompanhar as evoluções culturais tem origem numa sociedade bastante díspare, que a tornam única e conferem melancolia e incerteza aos relatos. Para as poucas batalhas que descreve é, estranhamente, uma daquelas leituras que nos agarra até ao fim.

Promoções: FNAC – 50% Desconto

D quixote

À semelhança das promoções anteriores com outras editoras (como a Cavalo de Ferro ou a Teorema), chegou a vez da D. Quixote: até à meia noite do dia 22 de Outubro poderão encontrar vários livros da editora a 50%. Entre os autores seleccionados podem encontrar Carloz Ruiz Zafon (A Sombra do Vento), Gabriel Garcia Marquez ou Guy de Maupassant.

Passatempo – Os Anos de Ouro da Pulp Fiction

os-anos-de-ouro-da-pulp-fiction-portuguesa

Organizado por Luís Filipe Silva, Os Anos de Ouro da Pulp Fiction reúne uma série de contos que visam simular uma época portuguesa de histórias Pulp que não existiu. Todos os contos foram criados propositadamente para este colectânea, bem como as biografias dos autores que os acompanham. As fotos dos autores, essas já são reais. Eis a sinopse:

Houve um tempo em que heróis mascarados corriam as ruas deLisboa à cata de criminosos; em que navegadores quinhentistas descobriam cidades submersas e tecnologias avançadas; em que espiões nazis conduziam experiências secretas no Alentejo; em que detectives privados esmurrados pela vida se sacrificavam em prol de uma curvilínea dama; em que bárbaros sanguinários combatiam feitiçaria na companhia de amazonas seminuas; em que era preciso salvar os colonos das estações espaciais de nome português; em que seres das profundezas da Terra e do Tempo despertavam do torpor milenário ao largo de Cascais; em que Portugal sofria constantes ataques de inimigos externos ou ameaças cósmicas que prometiam destruí-lo em poucas páginas, antes de voltar tudo à normalidade aquando do último parágrafo.

Agora ! Para participar devem enviar um mail para rascunhos.blog [AT] gmail [DOT] com , indicando o vosso nome e morada. Não têm de gostar de página alguma, nem seguir blog algum – basta enviarem mail ! O passatempo termina dia 15 de Novembro. A cópia em passatempo foi-me disponibilizada pela Editora Saída de Emergência.

Nota adicional: Os dados enviados serão usados apenas para o passatempo.

As novas estantes (11)

IMG_2270

Quem nunca leu Dragonlance ? Publicados nos anos noventa pela Europa-América, e, mais recentemente, pela Saída de Emergência, são histórias divertidas que possuem todos os elementos da fantasia: elfos, magos, anões e dragões; num ambiente medieval onde cabem as mulheres guerreiras e pequenos episódios cómicos. Sem constituirem obras-primas são de leitura agradável, leve e divertida.

Os livros de Robin Cook que se seguem são, na sua maioria, thrillers com detalhes de ficção científica médica, ou seja, histórias onde o autor aproveita para explorar os resultados dos avanços científicos recentes, como a fertilização in vitro, a clonagem ou a manipulação genética. Infelizmente, tirando duas ou três histórias, existe uma linha narratória comum à maioria dos livros, que os faz previsíveis para quem leu meia dúzia.

A seguir aos Tolkien encontram-se os livros de divulgação científica de assuntos bastante diferentes que vão desde a física à biologia: a teoria do Caos que influencia as mais variadas áreas científicas, é sem dúvida uma das minhas paixões.

IMG_2284

Na última prateleira encontram-se alguns dos SF Masterworks, uma das colecções de ficção científica mais abrangentes, que reúne obras mais antigas e mais recentes. Os primeiros volumes da colecção têm um visual mais escuro onde se intercalam capas visualmente agradáveis com outras que… nem tanto. De entre estes livros realço dois dos meus favoritos: The Dispossessed de Ursula Le Guin, e Where Late the Sweet Birds Sang de Kate Wilhelm, ambos publicados em português como Os Despojados (numa edição miserável pela Europa-América) e Onde os Últimos Pássaros cantaram (pela Gailivro, uma edição que se encontra agora barata pela wook ou pela fnac).

IMG_2294

Após um intervalo de publicação, a editora voltou a lançar novos clássicos da ficção científica, agora com um visual mais claro e moderno que não agradou a todos. Foi assim que conheci City de Clifford D. Simak, uma obra brutal e The Female Man de Joanna Russ, um livro que usa os universos paralelos que usa a mesma personagem em diferentes contextos sociais para explorar o papel da mulher.

 

À espera de … (lançamentos internacionais)

of bone and thunder

Descrito como o encontro de Apocalypse Now com The Lord of the Rings numa crítica no Omnivoracious, está na minha wishlist:

A land of thick jungle and mist-swirled mountains. An enemy moving unseen beneath the lush canopy. The growing threat of thaumics—a magic wielded by few that threatens to destabilize all. The youth of a kingdom sent to fight in a faraway hell while back home, discord and disillusionment reign…

Fantasy author Chris Evans masterfully pushes the boundaries of the genre in his brilliant, groundbreaking new epic, a unique and penetrating vision channeling the cultural upheaval, racial animus, and wholesale destruction of the Vietnam War. Here, in the distant nation of Luitox, which is wracked by rebellion, thaumic users copilot mammoth armored dragons alongside fliers who do not trust their strange methods. Warriors trained in crossbow, stealth, and catapult are plunged into sudden chaotic battles with the mysterious Forest Collective, an elusive enemy with a powerful magic of its own. And the Kingdom’s most downtrodden citizens, only recently granted equality, fight for the dignity they were supposed to have won at home while questioning who the real enemy is.

the doubt factory

Paolo Bacigalupi encontra-se entre os meus autores favoritos, depois de ter lido The Windup Girl há uns anos. No próximo livro o autor continua a explorar questões morais e sociais:

Everything Alix knows about her life is a lie. At least that’s what a mysterious young man who’s stalking her keeps saying. But then she begins investigating the disturbing claims he makes against her father. Could her dad really be at the helm of a firm that distorts the truth and covers up wrongdoing by hugely profitable corporations that have allowed innocent victims to die? Is it possible that her father is the bad guy, and that the undeniably alluring criminal who calls himself Moses–and his radical band of teen activists–is right? Alix has to make a choice, and time is running out, but can she truly risk everything and blow the whistle on the man who loves her and raised her?
three body problem

E para algo diferente, porque não experimentar um autor chinês?

With the scope of Dune and the commercial action of Independence Day, this near-future trilogy is the first chance for English-speaking readers to experience this multiple-award-winning phenomenon from China’s most beloved science fiction author. Set against the backdrop of China’s Cultural Revolution, a secret military project sends signals into space to establish contact with aliens. An alien civilization on the brink of destruction captures the signal and plans to invade Earth. Meanwhile, on Earth, different camps start forming, planning to either welcome the superior beings and help them take over a world seen as corrupt, or to fight against the invasion. The result is a science fiction masterpiece of enormous scope and vision.

jaybirdFinalmente, pela Dark horse, o aclamado Jaybird:

Poor Jaybird is a timid young chick who has never left his family home – and never will, if his elderly and domineering mother has anything to do with it. The time is coming, however, when he may have to face the world head-on. Jaybird was originally released as a digital comic and won huge acclaim from fans. This printed version is the result of a dedicated 3-year quest for crowd-funding – and it is certainly worth the wait. Jaybird is a real artistic triumph, a beautifully-realised, almost completely silent tale about the last in a generation.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 627 outros seguidores