Destaque da Semana – Eu Mato Gigantes

Eu Mato Gigantes - Capa

A lançar no Anifest (página oficial do evento), Eu Mato Gigantes está a ser publicado em português pela Kingpin Books, com edição de Mário Freitas. Imagens, bem como uma entrevista a Mário Freitas encontram-se disponíveis no blog Leituras de BD.

 

Últimas aquisições – 2014-09-16

IMG_2051

contos quirogaA pilha de livros começa com Contos de Amor, Loucura e Morte, de Horácio Quiroga. Confesso que esta foi uma compra de oportunidade – preço irrisório na FNAC com portes gratuitos e voilá. Claro que a sinopse a elevar expectativas do leitor ajudou:

Quiroga é consensualmente considerado o fundador do conto sul-americano. Nestes pedaços de narrativa, ilustra de forma esmagadora a luta do homem contra o destino, as batalhas contra a natureza e a solidão incomensurável dos personagens, a presença totémica da morte, da doença, do lado negro da realidade; tudo nestas histórias segue um percurso de decadência que, contudo, estabelece uma espécie de catarse que exorciza a esperança.

Segue-se Authority de Jeff Vandermeer. Depois de ler Annihilation fiquei curiosa para ler o segundo volume da trilogia:

In the second volume of the Southern Reach Trilogy, questions are answered, stakes are raised, and mysteries are deepened …

Following the disastrous twelfth expedition chronicled in ‘Annihilation’, the second book of the Southern Reach trilogy introduces John Rodriguez, the new head of the government agency responsible for the safeguarding of Area X. His first day is spent grappling with the fall-out from the last expedition. Area X itself remains a mystery. But, as instructed by a higher authority known only as The Voice, the self-styled Control must battle to ‘put his house in order’.

From a series of interrogations, a cache of hidden notes and hours of profoundly troubling video footage, the mysteries of Area X begin to reveal themselves—and what they expose pushes Control to confront disturbing truths about both himself and the agency he’s promised to serve.

Undermined and under pressure to make sense of everything, Rodriguez retreats into his past in a labyrinthine search for answers. Yet the more he uncovers, the more he risks, for the secrets of the Southern Reach are more sinister than anyone could have known.

Mister gumTambém por preço irrisório (1,59£), mas na Amazon, esteve Mister Gum de Rhys Hughes. A quem passou despercebido, o autor tem dois livros publicados em português pela Livros de Areia, A Sereia de Curitiba e Uma Nova História Universal da Infâmia. Deixo a sinopse de Mister Gum:

Rhys Hughes plumbs the depths of perversity and satire in the shockingly brilliant novel Mister Gum, which follows the adventures of the world’s most notorious creative writing tutor and his friends. On his way he discovers haunted hymens, Fellatio Nelson and Canon Alberic’s Photo Album. ‘A desperately needed antidote to nerd-friendly space fiction and inklingoid fantasy.’ – The Guardian. ‘Hughes’ fiction has few parallels anywhere in the world. In some alternate universe with a better sense of justice, his work triumph-antly parades across all bestseller lists.’ -Jeff Vandermeer.

O Cavaleiro de Westeros & Outras Histórias, de George R. R. Martin é uma colectânea de contos, algumas das quais passadas no mesmo Universo que Guerra dos Tronos, que promete boas histórias:

Cerca de um século antes dos eventos narrados em A Guerra dos Tronos, um jovem escudeiro parte em busca de fama e glória num dos mais famosos torneios de Westeros. Mas o destino prega-lhe uma partida e coloca-o no caminho de um rapaz misterioso que irá mudar a sua vida para sempre. A não perder para osfãs da melhor série de fantasia da atualidade. O Cavaleiro de Westeros abre esta coletânea com os melhores contos de George R. R. Martin. Nelaencontrarão também uma cidade dominada por uma elite de lobisomens, onde ocorrem horrendos acontecimentos; um magnata excêntrico com gosto por espécies exóticas que vai ser confrontado com o que não esperava; um padre em crise de fé num mundo distante; uma mulher que vasculha universos em busca do amor perdido; ou um homem que se vê confrontado com a derradeira escolha, num mundo em que o fim da vida não equivale necessariamente à morte. Dez histórias nascidas da imaginação do criador de As Crónicas de Gelo e Fogo.

w505951Por último, dois livros que aguardava há algum tempo: The Ultra Thin Man e The Bone Clocks. O título The Ultra Thin Man relembra The Thin Man propositadamente, pois será uma homenagem. Retratanto dois detectives num futuro distópico, promete uma leitura atribulada:

In the twenty-second century, a future in which mortaline wire controls the weather on the settled planets and entire refugee camps drowse in drug-induced slumber, no one-alive or dead, human or alien-is quite what they seem. When terrorists manage to crash Coral, the moon, into its home planet of Ribon, forcing evacuation, it’s up to Dave Crowell and Alan Brindos, contract detectives for the Network Intelligence Organization, to solve a case of interplanetary consequences. Crowell and Brindos’ investigation plunges them neck-deep into a conspiracy much more dangerous than anything they could have imagined. The two detectives soon find themselves separated, chasing opposite leads: Brindos has to hunt down the massive Helkunn alien Terl Plenko, shadow leader of the terrorist Movement of Worlds. Crowell, meanwhile, runs into something far more sinister-an elaborate frame job that puts our heroes on the hook for treason. Crowell and Brindos are forced to fight through the intrigue to discover the depths of an interstellar conspiracy. And to answer the all-important question: Who, and what, is the Ultra Thin Man?

The Bone Clocks é o mais recente livro de David Mitchell, o autor de Cloud Atlas ou Black Swan Green:

One drowsy summer’s day in 1984, teenage runaway Holly Sykes encounters a strange woman who offers a small kindness in exchange for ‘asylum’. Decades will pass before Holly understands exactly what sort of asylum the woman was seeking . . .

The Bone Clocks follows the twists and turns of Holly’s life from a scarred adolescence in Gravesend to old age on Ireland’s Atlantic coast as Europe’s oil supply dries up – a life not so far out of the ordinary, yet punctuated by flashes of precognition, visits from people who emerge from thin air and brief lapses in the laws of reality. For Holly Sykes – daughter, sister, mother, guardian – is also an unwitting player in a murderous feud played out in the shadows and margins of our world, and may prove to be its decisive weapon.

Eventos – Lançamento – Por Mundos Divergentes

capamundosdivergentes_single

Em simultâneo com o lançamento de Comandante Serralves irá ocorrer o lançamento da Antologia Por Mundos Divergentes – dia 21 de Setembro, pelas 15h00, na Arena Devir do Porto. A Editora já disponibilizou a pré-venda da Antologia,  podendo ser adquirida em conjunto com Na Sombra das Palavras.

Alerta – Colecção Fantástico com o Jornal i

Colecção fantástico

E para os curiosos, deixo a minha opinião sobre Brinca Comigo!

Eventos – Lançamento – Comandante Serralves

 

serralvesO lançamento da Antologia Comandante Serralves está planeado para o dia 21 de Setembro, pelas 15h00, na Arena Devir do Porto. Para mais detalhes sobre o projecto, podem consultar o site oficial. Apesar de ainda não ter sido lançado, encontra-se disponível a pré-venda.

À espera de … (lançamentos internacionais)

sleeper spindle

Agendado para Outubro, o novo livro de Neil Gaiman é uma história ilustrada que une Branca de Neve e Bela Adormecida, The Sleeper and the Spindle:

A thrillingly reimagined fairy tale from the truly magical combination of author Neil Gaiman and illustrator Chris Riddell – weaving together a sort-of Snow White and an almost Sleeping Beauty with a thread of dark magic, which will hold readers spellbound from start to finish.

On the eve of her wedding, a young queen sets out to rescue a princess from an enchantment. She casts aside her fine wedding clothes, takes her chain mail and her sword and follows her brave dwarf retainers into the tunnels under the mountain towards the sleeping kingdom. This queen will decide her own future – and the princess who needs rescuing is not quite what she seems. Twisting together the familiar and the new, this perfectly delicious, captivating and darkly funny tale shows its creators at the peak of their talents.

steampunk user

Depois de Steampunk Bible, Jeff Vandermeer volta a editar um compêndio Steampunk, desta vez, sob o título The Steampunk’s User Manual:

The Steampunk User’s Manual features beautiful images and entertaining text about the incredibly popular Science Fiction subgenre that imagines future technology and fashion via a 19th century perspective and toolbox. The Steampunk User’s Manual provides a conceptual how-to guide across all aspects of Steampunk that motivates and awes both the armchair enthusiast and the committed creator. The idea here is to give readers points of reference that are both refreshingly down-to-earth and completely over-the-top–that utterly doable jewellery project juxtaposed with that stunningly crazy and jaw-dropping art installation. The book features sections on fashion, art, crafts, music, large-scale installations, fiction, filmmaking, etc. By combining the functional and the delightfully out-there, The Steampunk User’s Manual not only satisfies readers–it also entertains and inspires them at a very high level and provides an updated look at the world of Steampunk, which has already changed since the publication of The Steampunk Bible.

 

station eleve2

Station Eleven é um dos mais recentementes lançamentos distópicos deste ano, divulgado numa compilação de histórias distópicas:

One snowy night a famous Hollywood actor slumps over and dies onstage during a production of King Lear. Hours later, the world as we know it begins to dissolve. Moving back and forth in time-from the actor’s early days as a film star to fifteen years in the future, when a theater troupe known as the Traveling Symphony roams the wasteland of what remains-this suspenseful, elegiac, spellbinding novel charts the strange twists of fate that connect five people: the actor, the man who tried to save him, the actor’s first wife, his oldest friend, and a young actress with the Traveling Symphony, caught in the crosshairs of a dangerous self-proclaimed prophet. Sometimes terrifying, sometimes tender, Station Eleven tells a story about the relationships that sustain us, the ephemeral nature of fame, and the beauty of the world as we know it.

 

 

Efeitos secundários – vários autores (1ª parte)

efeitos

Efeitos Secundários foi a primeira publicação oficial da Simetria. Organizada por Maria Augusta e António de Macedo e é uma edição bilingue, uma edição espelho que contem os mesmos contos em português e inglês. Desta forma, todos os contos podem ser lidos na versão original – os de autores portugueses li em português, o de Joe Haldeman li em inglês.

A colectânea começa por um conto de Maria de Menezes, Pedagogias diversificadas, que, a meu ver não se enquadra bem nos géneros ficção científica ou fantasia, mas talvez horror. Independentemente do género, é uma boa sátira ao sistema de ensino, um retrato cómico da pedagogia extrema, onde, a custo de todos (alunos e professores), se força a integração de um aluno canibal, como se o comer outros seres humanos fosse apenas um aborrecimento passageiro.

A segunda história é mais longa – longa o suficiente para ser uma noveleta e não um conto). Efeitos de Maré de António de Macedo, começa como uma história de espionagem empresarial, em que uma empresa cria soluções para desastres ambientais – mas não curas, antes soluções que tragam bons e contínuos lucros. Reviravolta, atrás de reviravolta, solução sobre solução, o nosso mundo vai sofrendo alterações catastróficas sucessivas. A história termina num twist irónico que não me satisfez, talvez pela extrapolação do conceito original.

Em oposição a Efeitos de Maré, segue-se um conto muito curto de David Alan Prescon, Nihil Sine Causa. Este conto apresenta-nos um professor universitário que se vê divorciado da mulher que ama, devido ao aparecimento de uma foto em que beija uma jovem que nunca conheceu. História curta, simples e previsível.

Com o título baseado em episódios marcantes, Rodney King de Luís Filipe Silva, começa com o aparecimento, em todos os cartazes da cidade, de uma mensagem inquietante “Lembram-se de quando fomos livres?”. A esta, outras mensagens se seguem, não só em cartazes, mas pela televisão, que remetem ao espancamento de Rodney, ou de outras cenas semelhantes, que instigam a revolta e a violência. Um conto interessante, de tom pausado, onde não faltam personagens hipócritas em torno dos acontecimentos, para os quais as populações se vêem manipuladas. Este conto encontra-se disponível online em inglês, ou em português no site do autor.

 

 

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 617 outros seguidores