As novas prataleiras (1)

Casa nova, vida nova, novas estantes e nova arrumação para os livros – o que em última análise significa… novas fotos. Aqui fica a primeira, que contém parte da secção de BD e afins.

Shelves (45)

 

Os últimos quinze dias de 2010 (esta semana)

Passou-se o Natal e a Passagem de Ano e o resumo semanal de críticas a obras de literatura especulativa não se realizou. Aqui fica, então, um apanhado dos últimos quinze dias do ano. Dos livros referidos nestas críticas estou interessada em pegar em Deixa-me Entrar (apenas vi o filme) e A Tapeçaria do Sinai de Edward Whittemore.

19-12-2010

- O Livro Maléfico - Magnus Myst (As Leituras do Corvo)

- O Dardo de Kushiel - Jacqueline Carey (Páginas Desfolhadas)

- Firmin – Sam Savage (Floresta de Livros)

- Eternidade - Alyson Nöel (Pedacinho Literário)

- Enquanto Durar o Sol - Italo Calvino (A Lâmpada Mágica)

- A Luz Miserável – David Soares (Manuscritos Malditos)

- A Conspiração dos Abandonados - António de Macedo (A Lâmpada Mágica)

- Midnight’s Daughter – Karen Chance (Livros, livros e mais livros)

20-12-2010

- Voo – Angie Sage (As Leituras do Corvo)

- Desejo Insaciável - (As Histórias de Elphaba)

- Sempre Vivemos no Castelo - Shirley Jackson (Estante de Livros)

21-12-2010

- The Melancholy Death of Oyster Boy & Other Stories - Tim Burton (A Lâmpada Mágica)

22-12-2010

- Perfeitos – Scott Westerfeld (As Histórias de Elphaba)

- O Mundo de Jon - Philip K. Dick (A Lâmpada Mágica)

23-12-2010

- Biblioteca - Zoran Zivkovic (Estante de Livros)

24-12-2010

- Evernight - Cláudia Gray (Clube dos Livros)

- Anjo Mecânico - Cassandra Clare (As Leituras do Corvo)

- Lua Azul – Alyson Noel (Páginas com memória)

- Discurso Inaugural – Fabián Labeau (A Lâmpada Mágica)

25-12-2010

- Deixa-me Entrar - John Ajvide Lindqvist (Clube dos Livros)

- A Rapariga Que Roubava Livros – Markus Zusak (O Papiro de Seshat)

26-12-2010

- O Livro Maléfico - Magnus Myst (Clube dos Livros)

- Horns – Joe Hill (Intergalacticrobot)

- A Coroa de Sangue – Madalena Santos (Câmara Obscura)

27-12-2010

- Grimm Fairy Tales - Volume 4 (Floresta de Livros)

- Anjo Caído – Lauren Kate (As Leituras do Corvo)

- A Tapeçaria do Sinai - Edward Whittemore (Bela Lugosi is Dead)

- Lua Azul – Alyson Noel (As Histórias de Elphaba)

28-12-2010

- Diário de um Vampiro Banana - Tim Collins (Páginas com memória)

29-12-2010

- Crown of Acorns – Catherine Fisher (Bela Lugosi is Dead)

- Rosemary and Rue – Seanan McGuire (Livros, livros e mais livros)

30-12-2010

- Anjo Mecânico - Cassandra Clare (Bela Lugosi is Dead)

- A Tatuagem Negra - Sam Enthoven (Porta VIII)

- A Luz Miserável – David Soares (O Papiro de Seshat)

- A Marca de Kushiel - Jacqueline Carey (Páginas Desfolhadas)

31-12-2010

- A Lança do Deserto - Peter V. Brett (As Leituras do Corvo)

Para além das críticas

- O Cerne da Questão (I dream in Infrared)

- Texto vencedor do Concurso de Escrita: “O Carrossel”, de João Rogaciano (Que a Estante nos Caia em Cima)

- Revista Antologia (site oficial)

Resumo de Leituras – Novembro 2010

99 – O Castelo dos Destinos Cruzados – Italo Calvino – Este volume possui dois conjuntos de histórias baseadas na disposição das cartas de dois baralhos de tarot distintos, um na mesa de um castelo, o outro na mesa de uma taberna. São exercícios de escrita engraçados mas pouco marcantes.

100 – How to live  safely in a science fiction universe – Charles Yu – Com pitadas de humor que recordam The Hitch-Hikers Guide to the Galaxy, é uma história que se centra demasiado numa personagem que remói os problemas de infância, e onde, no final, restam algumas pontas soltas. Entre as pitadas de humor e a premissa interessante, o autor não explora totalmente nenhuma das duas vias ficando a sensação de uma história incompleta.

101 – Mad With Wonder – Hatter M. Volume 2 – Frank Beddor – De aspecto gráfico distinto do primeiro volume, continua a apresentar imagens excelentes de aura surreal, mas agora mais difusas e incertas. Continuação do volume anterior, possui alguns elementos repetitivos na história, que fazem com que não se torne excelente.

102 – A Boneca de Kokoschka – Afonso Cruz – Último livro do autor, possui duas histórias interligadas com raízes na cidade de Dresden. Ainda que, de início, tenho estranhado a forma como nos é apresentada a história, passado algumas páginas vi-me envolvida e adorei. Espero arranjar tempo para comentar decentemente o livro nos próximos dias.

103 – Inverted World – Christopher Priest – No  mundo apresentado por Christopher Priest a realidade é relativa, e apenas junto de um ponto denominado de óptimo é que as condições físicas são semelhantes ao nosso mundo. Mas este óptimo move-se ao longo do planeta, e desta forma, também a cidade tem de se mover, ao longo de carris, com a ajuda dos indígenas. Ainda que, inicialmente, haja um equilíbrio entre o desenvolvimento da personagem principal e a ideia por detrás desta realidade, este vai-se deslocando e as personagens são descuradas. É uma obra interessante, não pela história, mas apenas pela ideia exposta e pela forma como esta vai sendo revelada.

104 – O Golem – Gustav Meyrink – Irónico e inteligente, aproxima-se por vezes da demência ao acompanhar a personagem, um homem que vive no bairro judeu e que não se recorda de parte da sua vida, após um tratamento psicológico. Explorando o mito do golem na cidade de praga intercala misticismo com loucura. Com alguns momentos menos interessantes, revelou-se bastante superior ao que esperava no final.

105 – Miss Tamara, The Reader – Zoran Zivkovic – Também presente no livro da PS Publishing, The Writer, The Book, The Reader, constitui um conjunto de histórias em torno de uma senhora com o hábito de comer fruta ao mesmo tempo que lê. Em cada história explora uma fruta diferente conjuntamente com um acontecimento bizarro envolvendo os livros. Leitura bastante agradável bem ao estilo de Zoran Zivkovic, não desiludiu e enquadra-se no que esperava para um conjunto de histórias deste autor.

106 – Vaporpunk – Relatos Steampunk publicados sob as ordens de Suas Majestades – Conjunto de contos de autores brasileiros e portugueses publicado pela editora Draco, possui histórias excelentes e uma qualidade acima da média.  Este é outro livro sobre o qual pretendo escrever algo mais longo nos próximos tempos.

107 – Solomon Kane – The Castle of the Devil – Scott Allie & Mario Guevara -Adaptação para Graphic novel de uma história de Solomon Kane, realça-se pelo ambiente soturno e traiçoeiro,  carregado de monstros e personagens pérfidas. Ainda que tenha gostado de alguns elementos da história, como graphic novel deixou-me quase indiferente.

108 – The Stars my Destination – Alfred Bester – Irónico, sarcástico, brutal. Num futuro onde se pensa que não poderão existir grandes descobertas alguém se teletransporta sem recorrer a tecnologia exterior. Assim se descobre que esta é uma capacidade do cérebro humano, e quase todos os seres humanos aprendem a fazê-lo. Descobrem-se, no entanto, algumas limitações para esta capacidade. Gully Foyle é a personagem principal, um homem sem educação e bruto que se vê encurralado numa nave espacial avariada. Quando uma outra nave espacial passa por ele sem o salvar, jura vingança e, contra todas as expectativas, consegue salvar-se.

109 – Revelações – Paul Jenkins e Humberto Ramos – De aspecto gráfico impressionante, centra-se numa teoria da conspiração envolvendo uma morte no Vaticano. Charlie é o detective londrino chamado para investigar a morte do potencial sucessor do Papa: suicídio ou homicídio? Qualquer uma das respostas poderá resultar num escândalo. Inicialmente interessante, a história parece ter sido despachada no final, deixando alguns buracos no enredo.

110 – Portal Fundação – Vários Autores – Este é um conjunto de histórias não comercializado, com número limitado de exemplares que pertence ao Projecto Portal. Com a participação de 17 autores possui contos muito bons e apenas houve, no final, um ou outro que não apreciei tanto. Espero, também, escrever algo mais longo, explorando cada uma das histórias nos próximos tempos.

111 – Finch – Jeff Vandermeer – Comecei este recentemente pelo que ainda não tenho uma ideia completa da história, mas parece-me, no mínimo, divertida.

Links

SF Books That Will Stand The Test of TimeFantasy Books That Will Stand The Test of Time – alguns autores apresentam livros de ficção científica ou fantasia que pensam aguentar-se no futuro. Entre os escolhidos encontram livros já publicados no mercado português, como Old Man’s War de Scalzi (A Guerra Não é Para Velhos), Camouflage de Joe Haldeman (Camuflagem), The Road de Cormac McCarthy (A Estrada), Jonathan Strange & Mr. Norrell de Susanna Clarke, Moon Called de Patricia Brigs (O Apelo da Lua).

Science Fiction Chronicle – Jeff Vandermeer revê alguns livros recentes de ficção científica numa coluna no The New York Times. Alguns dos escolhidos encontram-se as minhas próximas aquisições.

All the books you’ll be lusting for this fall season – no site Io9 listam-se alguns dos próximos lançamentos nos género fantástico e ficção científica. Nesta lista podemos encontrar alguns livros promissores. Estou curiosa com Noise de Darin Bradley (referido já nalgumas críticas como um dos melhores livros de 2010), How To Live Safely In A Science Fictional Universe de Charles Yu, Dreadnought de Cherie Priest (sequela de Boneshaker) ou House of Discarded Dreams de Ekaterina Sedia.

-  Alien nations - Neste artigo fala-se de quatro livros a traduzir para inglês nos próximos tempos, bastante diferentes: The Quantum Thief de Hannu Rajaniemi, Metro 2033 de Dmitry Glukhovsky, Loups-Garous de Natsuhiko Kyogoku e Escher’s Loops de Zoran Zivkovic.

2010 Novels: The Best Science Fiction and Fantasy of the Year So Far? – No blog Omnivoracious da Amazon Jeff Vandermeer apresenta uma pequena lista daqueles que serão os melhores livros dos dois géneros publicados em 2010. Esta lista contém algumas sugestões interessantes, como The Golden Age de Michal Ajvaz.

-  10 Livros de Horror - Este é o único link para um site / blog português. David Soares criou uma lista de 10 livros de horror que, segundo ele, qualquer fã do género deveria ler.

Resumo de Leituras – Agosto 2010

65 – Eon – Greg Bear – durante a guerra fria um enorme asteróide aproxima-se da Terra, revelando-se oco e alterado por seres humanos para servir de meio de transporte. No interior não se encontram humanos, mas toda uma cultura de um futuro paralelo. Com passagens bastante promissoras, explora algumas teorias interessantes do ramo da física, mas ao se centrar em demasia na guerra fria e ao alongar-se demasiado, perde algum potencial.

66 – As Fogueiras de Deus – Patricia Anthony – sem dúvida um dos livros mais dementes e melancólicos que li nos últimos tempos: um rei doido, visões de Nossa Senhora e anjos de grandes vergas, numa vila visitada por uma nave espacial, onde se instala a Inquisição.

67 – The Chrysalids – John Wyndham – num mundo devastado os sobreviventes constroem uma sociedade obcecada pela pureza das formas, qualquer forma animal ou vegetal que mostre sinais de mutação é aniquilado, e os seres humanos com deformações são expostos ou esterilizados e abandonados. É neste mundo que um rapaz com capacidades telepáticas cresce, apercebendo-se que poderá ser considerado uma aberração. Uma história excelente e envolvente, que consegue surpreender várias vezes.

68 – Homenzinhos Livres – Terry Pratchett – História juvenil, decorre no mundo criado por Terry Pratchett, Discworld. Sem ser nenhuma obra prima, é uma leitura rápida, leve e divertida que, apesar de direccionada para os mais jovens, também entretém os adultos, mas sem cair nos absurdo exagerado que podemos encontrar noutros livros da mesma série.

69 – Flatland: Uma aventura em muitas dimensões - Edwin A. Abbott – Este livro retrata as aventuras de um quadrado pelo mundo das duas dimensões, onde as mulheres são linhas, agulhas que, não tendo cuidado se podem espetar, e os homens são polígonos, sendo o número de lados que determina a inteligência e o estatuto social. Depois de sonhar com um mundo de uma dimensão, é transportado para o mundo das três. Este é um exercício interessante de ideias e teorias que se torna divertido e interessante, ainda que não seja envolvente.

70 – The Crying of Lot 49Thomas Pynchon – Tendo como fio condutor o desenrolar de uma teoria da conspiração envolvendo um serviço de correios e a Segunda Guerra Mundial, foi com alguma expectativa que peguei no meu primeiro livro de Thomas Phynchon. E desiludiu-me. A personagem principal não me cativou, a sucessão de acontecimentos quase pareceu forçado. No final, I could not care less.

71 – A Torre dos Anjos – Philip Pullman – Segundo volume de uma trilogia, A Torre dos Anjos centra-se menos na personagem principal, Lyra, e apresenta-nos um outro rapaz que também terá um papel importante na história, um rapaz proveniente de um mundo semelhante ao nosso, que em busca de um refúgio encontra uma janela para um mundo de espectros que se alimentam das almas dos adultos. Mais engraçado que o segundo volume, contém uma série de acontecimentos que são preparatórios para o final da história, com algumas revelações interessantes.

72 – Marvel 1602 Spider-man - No seguimento de 1602 de Neil Gaiman, foram publicados dois volumes, 1602 Fantastic Four e 1602 Spider-man. Em 1602 conhecemos uma realidade alternativa, onde a primeira colónia na América terá sobrevivido e a viagem ao passado de um herói da Marvel terá originado o aparecimento dos restantes heróis, como o Homem Aranha ou os Fantastic Four, considerados como abominações a destruir pela Inquisição. Em 1602 Spiderman acompanhamos o Homem Aranha neste Universo. É uma história engraçada, mas que pouco traz de novo às ocorrências de 1602 e 1602 Fantastic Four.

73 – Fome – Elise Blackwell – Relato impressionante dos habitantes de Leninegrado durante um extenso cerco pelo exército alemão. Sem poderem abastecer a cidade, os alimentos começam a escassear e a vida dos habitantes sofre rudes alterações. Um livro forte mas realista, onde não se escondem as cobardias dos protagonistas.

74 – The System of Vienna – Gert Jonke – Decorrendo na cidade de Viena, Gert Jonke apresenta-nos vários episódios surreais, não tanto pelos factos, mas pela forma como as pessoas reagem: na sua maioria de forma autista e egoísta, apresentando mentes fechadas.

75 – O Telescópio de Âmbar – Philip Pullman – Este é último volume da trilogia, a finalização da história, onde as personagens que acompanhamos se vão tornando mais adultas e responsáveis. Tal como no volume anterior, as buscas onde se lançam as personagens apresentam-nos diferentes mundos, todos diferentes, mas relacionados entre si, com diferentes espécies sapientes.

Mulefa from The Amber Spyglass by ~3djinn

Esta semana (28.08.2010)

Uma das vantagens de, semanalmente, fazer esta lista é deparar-me com livros que desconheço, mas parecem interessantes, como [Malitska:]. Para além desta crítica, realçaria o comentário ao conto de Fábio Ventura que pretende introduzir o segundo volume de Orbias, assim como as críticas de Luís Filipe Silva esta semana, a um livro que até agora me parecera promissor, This is not a Game, e Arvies, um conto de Adam-Troy Castro:

- This is not a Game – Walter Jon Williams (Tecnofantasia)

- Uma Fuga à Tangente – Lorde Dunsany (A Lâmpada Mágica)

- Imperfeitos – Scott Westerfeld (As Leituras do Corvo)

- Uma espécie de prólogo – Fábio Ventura (Illusionary Pleasure)

- A lenda do cisne – Jules Watson (Bela Lugosi is Dead)

- A Morte de César – João Ventura (A Lâmpada Mágica)

- [Malitska:] – Francisco Oliveira e Miguel Rocha (Floresta de Livros)

-  Arvies – Adam-Troy Castro (Tecnofantasia) – segundo Luís Filipe Silva este será um dos melhores contos deste ano

- Carbono Alterado – Richard Morgan (A Lâmpada Mágica)

Graceling – O Dom de Katsa – Kristin Cashore (As Leituras do Corvo)

- A Sul da Fronteira, A Oeste do Sol - Haruki Murakami (Os Devaneios da Jojo)

- Uma Noite Não São Dias – Mário Zambujal (A Lâmpada Mágica)

- O Vampiro Lestat – Vol 2- Anne Rice (Bela Lugosi is Dead)

- Jasmyn – Alex Bell (Páginas Desfolhadas)

- Chocky, o amigo invisível - John Wyndham (Sombra dos Livros)

- A Origem das Aves – Italo Calvino (A Lâmpada Mágica)

- Deuses Americanos – Neil Gaiman (Muito para Ler)

- A Demanda do Visionário – Robin Hobb (Página a Página)

- Sangue-do-Coração – Juliet Marillier (Correio do Fantástico)

- A Mulher do Viajante no Tempo – Audrey Nieffenegger (Bela Lugosi is Dead)

- Assessor Para Assuntos Fúnebres – Gerson Lodi-Ribeiro (A Lâmpada Mágica)

- Filhas das trevas – L. J. Smith (Páginas com memória)

Para além das críticas

- Poe: o visível e o invisível de mãos dadas (PNETliteratura)

Esta semana (21.08.2010)

Esta semana realçaria a descoberta de Lightspeed Magazine, uma revista online de contos de ficção científica. Se esta semana temos menos críticas, temos mais artigos interessantes.

Duna – Frank Herbert (As Leituras do Corvo e Bela Lugosi is Dead)

- Orgulho e Preconceito e Zombies – Jane Austen e Seth Grahame-Smith (Estante de Livros)

- Sally – Jorge Candeias (As Leituras do Corvo)

- Vénus – Maurice Baring (A Lâmpada Mágica)

- The Darkest Pleasure – Gena Showalter (Floresta de Livros)

- Damon – O Regresso – L. J. Smith (Bela Lugosi is Dead)

- The Darkest Kiss – Gena Showalter (Floresta de Livros)

- Lightspeed Magazine (Illusionary Pleasure) – esta é uma revista online com histórias curtas de ficção científica, com edição de John Joseph Adams. Entre os autores participantes podem encontrar Catherynne M. Valente, George R. R. Martin, Jack McDevitt ou Adam-Troy Castro.

- Beijo Gelado – Richelle Mead (As Leituras do Corvo e Bela Lugosi is Dead)

Para além das críticas

- Horror (Cadernos de Daath) – excerto do próximo livro de David Soares a ser apresentado no próximo fórum fantástico. Podem aproveitar e ler, também, o excerto deixado a semana passada.

- Sobre os livros de bolso portugueses (Illusionary Pleasure)

- Sobre eReaders (Cadernos de Daath)

- As topografias de Poe (PNETliteratura)

- Goodreads (Cadernos de Daath) – David Soares aproveitou esta ferramenta online para deixar uma lista dos melhores livros que já leu, conjuntamente com uma pequena crítica a cada um. Para quem não conhece a ferramenta, é a melhor que experimentei até hoje para catalogar a nossa colecção de livros. Tem ainda várias outras funcionalidades, como grupos de discussão.

New Books Around (06.07.2010)

The Year’s Best Science Fiction: Twenty-Seventh Annual Collection é um dos lançamentos para Julho, um volume que reúne algumas das melhores histórias do ano.

Entre os autores podemos encontrar Robert Charles Wilson, Paul McAuley, Ian McDonald (com Vishnu at the Cat Circus, uma das melhores histórias de Cyberabad Days), Nancy Kress ou Geoff Ryman. Uma lista completa de conteúdos pode ser lida em SF Signal.

Da mesma série de Boneshaker de Cherie Priest, será lançado nos próximos tempos, Dreadnought. Ainda que mantenha alguns aspectos visuais do volume anterior, a melhor capa continua a ser a de Boneshaker. Continuando o tema Steampunk, aqui fica a sinopse:

Nurse Mercy Lynch is elbows deep in bloody laundry at a war hospital in Richmond, Virginia, when Clara Barton comes bearing bad news: Mercy’s husband has died in a POW camp. On top of that, a telegram from the west coast declares that her estranged father is gravely injured, and he wishes to see her. Mercy sets out toward the Mississippi River. Once there, she’ll catch a train over the Rockies and–if the telegram can be believed–be greeted in Washington Territory by the sheriff, who will take her to see her father in Seattle.

Reaching the Mississippi is a harrowing adventure by dirigible and rail through war-torn border states. When Mercy finally arrives in St. Louis, the only Tacoma-bound train is pulled by a terrifying Union-operated steam engine called the Dreadnought. Reluctantly, Mercy buys a ticket and climbs aboard.

What ought to be a quiet trip turns deadly when the train is beset by bushwhackers, then vigorously attacked by a band of Rebel soldiers. The train is moving away from battle lines into the vast, unincorporated west, so Mercy can’t imagine why they’re so interested. Perhaps the mysterious cargo secreted in the second and last train cars has something to do with it?

The Library of Forgotten Books é o título dado ao volume Showcase da PS Publishing, que contem histórias curtas de Rjurik Davidson. O autor é-me desconhecido, mas a sinopse promete:

In this collection, PS Publishing presents the short works of a powerful, exciting new voice in SF and fantasy: Rjurik Davidson, whose protagonists wander dark cities of dreams, ravished by love and tormented by destiny…

Visit the fantastic metropolis of Caeli-Amur, where rival Houses of thaumaturgists-half scientist, half magician–battle one another in vendetta, espionage, and murder, ruthlessly employing philosopher-assassins: killers weighed down one minute by deep thought, uplifted the next by pure ecstasy. Enter the totalitarian city of Varenis, whose librarians every week consign thousands of forbidden books to obscure shelves, in halls haunted by dead writers, half-ghost, half-demon…

Para além dos novos lançamentos, de realçar a re-edição da série Riverworld de Philip José Farmer, em novo formato. O primeiro livro, premiado com o Hugo, To Your Scattered Bodies Go é assim publicado conjuntamente com The Fabulous Riverboat num único volume de título RiverWorld. Para os interessados em conhecer um pouco mais da série, está disponível um excerto do primeiro livro, e um resumo:

Imagine that every human who ever lived, from the earliest Neanderthals to the present, is resurrected after death on the banks of an astonishing and seemingly endless river on an unknown world. They are miraculously provided with food, but with not a clue to the possible meaning of this strange afterlife. And so billions of people from history, and before, must start living again.

Some set sail on the great river questing for the meaning of their resurrection, and to find and confront their mysterious benefactors. On this long journey, we meet Sir Richard Francis Burton, Mark Twain, Odysseus, Cyrano de Bergerac, and many others, most of whom embark upon searches of their own in this huge afterlife.

Finalmente, The End of the World: Stories of the Apocalypse reúne histórias de ficção científica em torno de apocalipses: invasões alienígenas, meteoritos devastadores ou guerras nucleares; de autores tão diversos como Lucius Shepard, Neil Gaiman, Poul Anderson ou Orson Scott Card:

A sensitive introduction by Robert Silverberg sets the tone for 19 varied glimpses of humankind’s ending, arranged thematically and ranging from the nuclear bang of Norman Spinrad’s “The Big Flash” to the sad whimper of George R.R. Martin’s poignant “Dark, Dark Were the Tunnels.” Lester Del Rey’s wrenching “Kindness” nods to the last living Homo sapiens while John Helfers’s “Afterward” envisions a blue-whitebrown planet sterilized of human contamination. Orson Scott Card’s “Salvage” and Nancy Kress’s elegiac “Fools Like Me” eloquently humanize the inhuman and convincingly imagine the unimaginable. Even longtime SF fans who know many of these classic stories will be thrilled to have them all in one place, a moving and powerful reminder of humanity’s capacity for self-destruction and powerful will to survive.

Retrospectiva 2009 – As melhores leituras

Mantendo a congruência para com os anos anteriores (2008, 2007 e 2006), aqui fica a minha pequena lista de melhores leituras de 2009 (para uma listagem completa do que li ao longo desse ano, consultar a página L09):

The Secret History of Moscow (Ekaterina Sedia), The Other City (Michal Ajvaz) e The City & The City (China Mieville) são três livros do género fantástico que nos revelam uma cidade sob outra cidade.

O livro de Ekaterina Sedia é engraçado e interessante, mas não o achei extraordinário – a história nunca nos chega a envolver totalmente, e o final desprega-nos da história de uma forma insonsa. Para The City & The City as expectativas eram altas, ou não fosse o seu autor o badalado China Miéville. Centrado em duas cidades sobrepostas, a premissa é engraçada, mas a história revela-se um romance policial demasiado inocente e pouco credível.

Finalmente, The Other City foi, destes três, aquele que mais apreciei. Do autor checo Michal Ajvaz, descreve-nos uma outra face da cidade de Praga para onde desaparecem alguns dos seus habitantes.

Apesar de sentir alguma curiosidade pelo livro de Peter Beagle O Último Unicórnio, este foi o ano em que tive oportunidade para ler o livro. Não o achei fascinante, mas resolvi pegar em mais dois livros de contos do mesmo autor, We Never Talk About My Brother e The Rhinoceros Who Quoted Nietzsche and Other Odd Acquaintances. Gostei de ambos, mas o primeiro possui alguns dos melhores contos que li este ano, desde a história de um anjo que se torna a musa inspiradora e obsessão  de um pintor, a um conto com laivos de mitologia japonesa.

Master and Margarita é a obra mais conhecida de MikhailBulgakov, mas enquanto esta aguarda na prateleira por uma oportunidade de leitura, peguei em The Heart of a Dog, um livro mais curto, de ficção científica, que me recordou outras histórias como Frankenstein ou Dr. Jekyll and Mr. Hyde. A personagem principal é um cão vadio, adoptado por um médico que decide realizar uma operação que o irá humanizar e transformar numa personagem peculiar.

Enquanto The Yiddish Policement’s Union é um romance de história alternativa, Gentlemen of the Road é um livro que facilmente se pode tornar um clássico centrando-se nas aventuras de dois judeus aventureiros, heróis humanos e imperfeitos, nem sempre corajosos que às vezes fogem aos seus próprios ideais.

The Man Who Was Thursday é um clássico do início do século XX, um livro que é muito mais do que uma história de detectives, uma paródia ou alegoria à sociedade e à estratificação social, que nos faz pensar no que nos rodeia, através de uma personagem estranha, um cavaleiro que é quase inocente na sua forma de pensar e de agir, que induz aos que o rodeiam a animação que faz da sua própria vida, mesmo nos momentos  mais obscuros.

Enquadrado na colecção Fantasy Masterworks, The Dragon Waiting, de John M. Ford, cativou-me. A história pressupõe a existência de uma Europa ameaçada pelo Império Bizantino, o que leva à convergência, num mesmo grupo, de personagens díspares em ideologia: um médico, um feiticeiro e um vampiro. Apesar de existirem vários aspectos que poderiam ter impossibilitado a minha leitura (as personagens são quase insonsas, existem demasiadas particularidades e informações a reter ao longo da história, e o rumo é demasiado mirabolante), de alguma forma o conjunto de factores funcionou e gostei do livro.

Pandemonium é o primeiro livro de Daryl Gregory e, para mim, um dos melhores lançamentos fantásticos deste ano. Num mundo em tudo semelhante ao nosso, as possessões por demónios são quase banais e induzem episódios repetitivos de loucura nos hospedeiros. A personagem principal foi possuída em criança, e após um acidente volta a apresentar sintomas suspeitos. Escrito de forma simples e directa, baseado numa premissa original, a história possui pequenos twists coerentes que o tornam numa das melhores histórias que já li.

Se em Metamorfose, de Kafka, um rapaz acorda transformado em barata, em Kockroach – A Metamorfose, uma barata acorda transformada em homem, mas sem abandonar alguns dos seus hábitos de insecto. Por vezes arrepiante, por vezes asqueroso, sem passagens paradas ou mortas, sem comoções, um livro sobre os poderes dos seres humanos, entre os quais uma reles barata singra.

As the Sun Goes Down de Tim Lebbon é um livro de contos de horror que exploram hipóteses negras nos acontecimentos mais vulgares – um casal que espera reatar o relacionamento amoroso durante uma viagem, um homem que se salva da queda de um avião (mas que terá de pagar um preço demasiado caro) ou um rapaz que face à queda de um amigo num buraco negro na floresta, explora a possibilidade de herdar os brinquedos. Não existem assassinos de faca na mão ou monstros escorregadios – apenas pessoas reais que optam pelo caminho maldoso, por vezes sem qualquer razão lógica.

Primeiro volume de uma trilogia The Lies of Locke Lamora era um dos livros pelo qual nutria as mais elevadas expectativas, e não fiquei desiludida. A personagem principal é um ladrão atrevido, Locke, que tece elaborados planos para roubar fortunas às personagens mais proeminentes da sociedade. Estruturado, sem se perder em detalhes, o livro lê-se rapidamente. Não é o melhor de fantasia que já li, mas encontra-se entre os melhores do ano de 2009, principalmente pela capacidade de divertir o leitor.

Como já referi inúmeras vezes, As atribulações de Jacques Bonhomme encontra-se entre os melhores livros de ficção científica publicados em Portugal nos últimos tempos. Escrito por um autor português, e publicado pela Gailivro, possui vários contos de final abrupto que consistem na visão estreita de uma só personagem. O que poderia nalguns casos ser um defeito, torna-se aqui uma vantagem. Algumas das histórias no livro não são FC, nem fantasia… na realidade não se enquadram em nenhum género – são histórias que poderiam acontecer nas nossas ruas, amigos traídos, agentes à paisana confundidos com delinquentes ou criminosos em despique. Esqueçam o optimismo e os finais felizes – as histórias retratam a selva da vida real.

Há livros estranhos e The Last Dragon será um dos mais estranhos livros que já li. Violência e tramas políticas são misturadas com magia para levar a cabo vários planos intercruzados de vingança. Intercalando os relatos de vários personagens, a história é um puzzle cujas peças só unimos no final quando os acontecimentos convergem e conseguimos obter a ordem cronológica das várias linhas narrativas.

Kurt Vonnegut foi uma das minhas mais recentes descobertas literárias, e Slaughterhouse five foi o segundo livro do autor. É considerado anti-guerra não porque disserte sobre a guerra, mas pela forma como a apresenta, retratando os soldados como jovens imberbes, que pouco ou nada sabem da vida, com corpos e mentes imperfeitas, e que, sem saberem muito bem como, se encontram nas trincheiras. Para além da guerra existe ainda lugar para viagens no tempo e extraterrestres – a personagem principal, Billy, não vive num fio de acontecimentos temporalmente sucessivos, mas saltanto de época em época, de criança a velhote, de homem a bebé.

To say nothing of the dog é um livro de cerca de 500 páginas cuja acção decorre entre a época vitoriana e um futuro no qual as viagens no tempo são possíveis. Do mesmo modo que a acção alterna entre épocas, alterna igualmente o ritmo da prosa, entre pausado na época victoriana, e um ritmo alucionante no futuro. Esta história uma paródios que reúne vários elementos cómicos e até ridículos: um historiador que procura um objecto nas suas viagens no tempo, vê-se obrigado a viajar para a época victoriana para relaxar; a mecenas do instituto de investigação de história transforma os historiadores em seus empregados, conferindo-lhes missões que pouco ou nada têm a ver com os seus objectivos; uma jovem da época victoriana procura o gato perdido e um gato aparece numa cesta de uma historiadora após uma viagem ao passado.

A Sombra do Vento foi das obras que mais apreciei este ano. Há quem o considere bom, mas não excelente – para mim possui vários elementos que o aproximam da perfeição: a acção decorre na cidade de Barcelona, e os livros possuem um papel fulcral no desenrolar da história.

Entre o romance e o mistério, a história decorre durante a ditadura de Franco, um tempo caracterizado pelo medo e a desinformação, o que confere à história um ambiente nublado. Como não poderia deixar de ser, assuntos como a Guerra Civil e a opressão são uma sombra constante  na vida das personagens.

Zoran Zivkovic tem-se tornado um dos meus autores favoritos, mais um daqueles a cujas histórias retorno, tal como Gabriel Garcia Marquez, Italo Calvino, Borges, Buzzati ou Umberto Eco. Seven Touches of Music é uma das colectâneas de contos que tive a oportunidade de ler do autor. Edição de luxo, reúne histórias em que a música tem um papel fulcral, parecendo retratar a perfeição do Universo e, em última análise, a expressão de um Criador, um músico perfeito. Um dos aspectos mais interessantes dos contos, para além da música, é o captar de gestos e sentimentos que compõem o nosso quotidiano: acções rotineiras pouco lógicas, mas que nos conferem conforto; sonhos que nos deixam entorpecidos pela manhã, ou pequenos acontecimentos inexplicáveis que geram os mais variados rumores.

Organizado por Ekaterna Sedia, Paper Cities é capaz de ser das melhores e mais equilibradas colectâneas de contos que já tive oportunidade de ler, reunindo histórias fantásticas em cenário medieval, realismo mágico e até histórias de fantasmas.

Ainda que não se encontrem entre as melhores leituras deste ano, gostei do estranhamente irritante All the Windwracked Stars: demasiado lamechas e rodeado por um fatalismo excessivo, por alguma razão estou com vontade de adquirir e ler o próximo volume; adorei Darwinia, um livro enquadrado na história alternativa que, no início do século XIX substitui o continente europeu por uma terra inóspita povoada de monstros estranhos; achei piada a Lathe of Haven, em que um homem muda a realidade consoante os seus sonhos e a A Mecânica do Coração, um romance curto com pitadas de steampunk; diverti-me com o surreal The Wind-up Bird Chronicle, e o absurdo The Stupidest Angel; deliciei-me com Clube de Patifes e o Best of de Michael Moorcock.

Poucos foram os livros que não gostei este ano, quanto muito houve alguns que se ficaram pela nota “normal” – esta é sobretudo uma lista pessoal que revela a minha tendência para ler principalmente em inglês, dentro dos géneros fantástico e SF, sem dispensar algum horror ou romance históricos  e ficcionais.

Caso tenha tempo, pretendo ainda fazer um pequeno post sobre os melhores contos e um pequeno resumo sobre Graphic novels / BD.

Notícias Fantásticas (02.12.2009)

Decorreu este Sábado a segunda e última sessão das Conversas Imaginárias, organizadas por Rogério Ribeiro, e já se conhece algum feedback (Bela Lugosi is Dead).

Para mim, foi um dia bem passado, que se iniciou com uma conversa sobre a auto-publicação com contas na mesa – montantes pedidos para publicação, o processo de distribuição (ou a sua ausência), o retorno do investimento (ou a ilusão do retorno).

Depois das dicas de leitura apresentadas por João Barreiros e por mim (mais pelo João), tiveram espaço os projectos de BD, cada um mais interessante que o outro, onde realçaria o de Filipe de Melo, As Incríveis Aventuras de Dog Mendonça e Pizzaboy! (ver imagem à direita). Este mesmo trabalho foi apresentado recentemente no programa 5 para a meia noite.

O dia terminou com a apresentação dos novos autores no género – Telmo Marçal (As Aventuras de Jacques Bonhomme), Fábio Ventura (Orbias), Bruno Martins (Alex 9) e Ana Vicente Ferreira (O sangue do dragão). Foi uma oportunidade para ver os meus livros autografados pelo Telmo Marçal e pela Ana Vicente Ferreira.

Fora do auditório, uma pequena banca de livros disponibilizou exemplares de Brinca Comigo, um pequeno livro composto por quatro contos, de João Barreiros, David Soares, Luís Filipe Silva e João Ventura.

Aproxima-se o Natal – escasseiam os lançamentos e eventos, aumentam as oportunidades de se adquirir livros a bom preço. A Editorial Presença com a campanha Chuva de Livros oferece de 5€ a 200€ em compras, bastando o login ou o registo (para novos utilizadores), para se conhecer o montante que nos calhou em sorteio. Por sua vez, a Saída de Emergência renovou a lista dos livros com 40% de desconto, promoção que pode ser combinada com a compre 3, pague 2. Compre 3, pague 2 é também uma promoção da Bertrand. A FNAC tem uma oferta semelhante, mas mais elevada em número de livros (Leve 4, pague 3).

De se aproveitar, também, é a liquidação total na livraria Buchholz – o fecho da livraria é uma notícia pouco fantástica, mas que se aproveite, ao menos, o bom preço dos livros.

New Books Around (17.11.2009)

Escher loops zoran zivkovicLançado recentemente mas já incluído na lista da Amazon nos 10 melhores livros de Ficção Científica e Fantasia, Eclipse 3 é a terceira edição que se propõe a seguir os passos das anteriores antologias, Eclipse 2 e Eclipse, vencedoras de vários prémios. Sem temática pré-definida, entre os autores podemos encontrar Peter S. Beagle, Paul Di Filippo, Jeffrey Ford, Caitlin R. Kiernan ou Daniel Abaraham.

Escher’s Loops é o próximo lançamento da PS Publishing de Zoran Zivkovic, um dos meus autores favoritos, do qual em Portugal apenas podemos encontrar a Biblioteca. Em Escher’s Loops realçaria a capa, da autoria de uma amiga. A sinopse promete algo semelhante ao que conheço de Zoran, ou seja, mais uma leitura obrigatória:

Like one of Escher’s drawings, the narrative threads lead one through a dizzying labyrinth of recurring themes, images and characters, all of which are linked with elegant mathematical precision: God and suicide, food and poison, monks, athletes, soldiers and soccer players all take their places in the circle-dance. Absurdity, surreality and humour abound; death is the ultimate destiny, yet always the next story offers infinite ways of escape.

Depois de Heart-Shaped Box, de Joe Hill (o filho de Stephen King) é publicado Horns. A edição limitada da PS Publishing está a esgotar-se a uma velocidade estonteante, a capa já se conhece, e a sinopse encontra-se finalmente disponível. Recordo-me de não ter apreciado grandemente o Heart-Shaped Box, mas ainda assim, a premissa deste Horns, captou-me :

Ignatius Perrish spent the night drunk and doing terrible things. He woke up the next morning with one hell of a hangover, a raging headache . . . and a pair of horns growing from his temples.

Já tem quase dois meses, mas é digno de referência – The Mammoth Book of Best New SF 22. Publicada em Setembro, esta colectânea reunida por Gardner Dozois, começa com um resumo do ano de 2008: prémios, revistas, contos, lançamentos de pequenas e grandes editoras.

Seguem-se contos de vários autores conhecidos do género, como: The Gambler (de Paolo Bacigalupi, nomeado para a categoria de melhor noveleta nos prémios Hugo de 2009 e disponível na blog da Pyr ),  From Babel’s Fallen Glory We Fled (de Michael Swanwick, também pode ser lido no site online da revista Asimov), Crystal Nights (de Greg Egan, nomeado para o BSFA e disponível gratuitamente no site da editora). Podem ainda encontrar Ian McDonald, Paul McAuley, Greg Egan, Geoff Ryman ou Nancy Kress.

Outra antologia lançada em Setembro que me parece interessante, é Passing for Human, pela PS Publshing.  Editada por Michael Bishop e Steven Utley, os contos recolhidos têm como principal tema os extraterrestres viverem mascarados entre nós, humanos.

Nesta antologia participam Theodore Sturgeon, Ray Bradbury, Paul DiFilippo, Robert Silverberg, Jeff Vandermeer e Carol Emshwiller, entre outros.

Esta semana … (2009.11.07)

Atrasado, mas ainda a tempo :). Aqui fica um pequeno apanhado das críticas a livros fantásticos e FC desta semana.

- Drood, Dan Simmons (Blog Saída de Emergência) – se já pensava ler o livro, agora ainda fiquei mais curiosa. Em princípio este será um dos próximos livros do autor a ser publicado em português, assim como The Terror, pela Saída de Emergência. Para quem não conhece, este é o autor de A Canção de Kali e Clube de Patifes.

- A Corte dos Traidores, Robin Hobb (Bela Lugosi is Dead e Estante de Livros)

Ghostgirl – A Rapariga Invisível, Tonya Hurley (As Leituras do Corvo e Bela Lugosi is Dead)

- Fúria, L. J. Smith (As Leituras do Corvo)

- O Homem Pintado, Peter V. Brett (Páginas desfolhadas  e Estante de Livros)

- Os Jogos da Fome, Suzanne Collins (Correio do Fantástico) – este é outro que me começa a intrigar, pelas sucessivas críticas muito positivas.

- American Gods, Neil Gaiman (Der Wanderer’s Blog)

Não é uma crítica literária, mas depois do artigo publicado no blog da Pó dos livros, fica o post no blog da Safaa Dib sobre pseudo-editoras. De leitura obrigatório para todos aqueles que desejam um dia ser publicados.


Esta semana nos blogs portugueses de FC & C …

Esta semana resolvi iniciar dois “espaços” semaias no meu blogue – um para notícias e outro para reunir parte do que ocorre nos blogues em língua portuguesas relacionados no fantástico / scifi nacional.  O primeiro espaço começou  na quarta, e o segundo inicia-se com este post. Se no primeiro coloco notícias sobre o género, neste segundo pretendo reunir links para críticas / comentários a livros ou outros posts sobre livros que ache pertinentes. Claro que não conseguirei reunir tudo o que se faz, mas espero contar com a vossa ajuda.

Críticas / Comentários

- A Quarta Profissão, Larry Niven (Correio Fantástico)

- Fahrenheit 451, Ray Bradbury (Correio Fantástico)

- A Última Transmissão Humana (Correio Fantástico) – não é bem um livro, antes um FLI (Filme Literário Interactivo), um projecto interessante, que vale a pena ver.

- Memórias de um vampiro, Rafael Loureiro (Cadernos de Daath) – o post que gerou a polémica da semana, desde reacções bruscas (ver no próprio blog) a diversas discussões em torno do livro e da crítica.

- 2666, Roberto Bolaño (Cadernos de Daath)

Para além das críticas, Safaa Dib publicou a segunda parte do seu top 10 de Ficção Científica no blog Stranger in a Strange Land. Na primeira, publicada há cerca de um ano constavam obras como The Dispossessed de Ursula Le Guin ou Lord of Light de Roger Zelazny.

Finalmente, é de ler o artigo que Luís Filipe Silva copiou para o Correio Fantástico, Science Fiction in Portugal – The Drawing up of a Territory.

Shelves (26)

Robert A. Heinlein foi uma dos escritores mais conhecidos de ficção científica, referenciado por obras como Stranger in a Strange Land (publicado em português como Estranho numa terra estranha – Livros do Brasil e Europa-América )The Moon Is a Harsh Mistress (publicado em português como Revolta na LuaLivros do Brasil) ou Friday (publicado em português com o mesmo título – Europa-América). Farmer in the Sky é mais  um livro do autor que resolvi ler na língua original.

City of Pearls é o primeiro livro de uma série, nomeado para o prémio Philip K. Dick. Enquadrado dentro do género ficção científica que expõe a tentativa de coexistência de sociedades alienígenas num outro planeta. Foi esta sinopse, conjuntamente com algumas críticas do livro que me levaram a adquiri-lo.

Depois de ler We Never Talk About My BrotherThe Rhinoceros Who Quoted Nietzsche and Other Odd Acquaintances pode-se dizer que fiquei fã de Peter Beagle. Vencedor do prémio Mythopoeic e nomeado para o World Fantasy Award, em Tamsin a história não parece ter traços de unicórnios, antes de fantasmas.

Ray Bradbury encontra-se entre os autores cujos livros me deixam com um misto de ódio / fascínio. Não tanto livros como Fahrenheit 451 ou Farewell Summer, mas os seus contos curtos que se enquadram entre o fantástico e o horror que encontramos, por exemplo, em I Sing the Body Electric ou Something Wicked this Way Comes.

The Ilustrated Man é uma pequena colectânea de contos, dezoito diferentes visões do destino da humanidade. Em portugês este livro foi publicado como O Homem Ilustrado (Livros do Brasil e Europa-América).

Entre a melhor ficção científica japonesa seleccionada pela HAIKASORU para publicação, encontra-se The lord of the sands of time. Ainda que nalguns detalhes a história me faça recordar O Exterminador Implacável, este parece um livro interessante: Um mensageiro cyborg do futuro desloca-se ao passado para unir a humanidade contra a ameçada futura de exterminação – mas no passado encontra o amor.

O Visconde Cortado ao Meio é um dos livros que forma um trio conjuntamente com O Barão Trepador e Cavaleiro Inexistente. Tal como os restantes, centra-se numa personagem a quem é imposta uma condição impossível constituindo uma alegoria de onde muitos retiram significado político.

O test de Turing é uma proposta de um teste para verificar a capacidade de uma máquina em demonstrar inteligência. Este teste propõe que um juri tenha uma conversa natural com um humano e com uma máquina – caso não se consiga distinguir a máquina do ser humano, então a máquina terá passado o teste.

Descrito nos anos 50 por Alan Turing, este teste tem sido utilizado em diversos livros de ficção científica, dando também origem ao título da colectânea de Chris Beckett, publicado pela Elastic Press , um conjunto de 14 histórias que têm como premissa central a dualidade autenticidade Vs ilusão, e o que realmente significa ser humano.

Medicine Road, por sua vez, é a re-edição de uma colectânea de contos de Charles de Lint pela Tachyon, com ilustrações de Charles Vess (o responsável pelas ilustrações em Stardust ou The Ladies of Grace Adieu). O poema que abre Medicine Road pode ser lido no site da Subterranean Press (a editora responsável pela primeira edição do livro)

Ekaterina Sedia é a autor de The Secret History of Moscow e de The Alchemy of Stone, assim como a editora de Paper Cities, um conjunto de histórias que decorrem nas mais diversas cidades, reais ou imaginárias, no passado, no presente ou no futuro. Entre os autores das histórias podemos encontrar vários autores como Hal Duncan, Cat Rambo ou Catherynne M. Valente.

Finalmente, no final encontra-se uma antologia do melhor de Michael Moorcock,  a continuação da série de comics Preacher (Vol 1 / Vol 4), e a adaptação de uma história da personagem Solomon Kane (de Robert E. Howard).

Shelves 21

Decididamente, a Amazon e a Feira do Livro desgraçam uma pessoa.

To Say Nothing of the Dog, We, Cosmos Latinos e The Black Mirror fazem parte da minha última encomenda da Amazon.

O primeiro encontrava-se na minha Wishlist há algum tempo. Vencedor do prémio Hugo e nomeado para o prémio Nebula, To Say Nothing of the Dog encontra-se referenciado como Ficção científica disfarçada de história victoriana.

Aproveitando uma leitura conjunta em Goodreads, resolvi adquirir o livro e já o comecei a ler. No mesmo âmbito penso aproveitar para ler Tigana de Guy Gavriel Kay, um livro que já esperou demasiado tempo na prateleira.

We, de Yevgeny Zamyatin, é uma distopia de origem russa que terá influenciado obras mais conhecidas como 1984 de George Orwell, The Dispossessed de Ursula Le Guin, ou Player Piano de Kurt Vonnegut.

Baseado na experiência das revoluções russa do próprio autor, a obra terá sido censurada na Rússica durante vários anos. A história parece basear-se na descoberta de um matemático de que teria uma alma individual. Este é mais um clássico de Ficção Científica com referência em todas ou quase todas as listas de melhores obras do género.

Obras de fantasia e ficção científica de origem anglo-saxónica abundam no mercado. Com o objectivo de diversificar esta tendência adquiri mais duas antologias: Cosmos Latinos e The Black Mirror.

Cosmos Latinos é uma colectânea de histórias provenientes da América Latina e de Espanha, que reúne contos a partir da segunda metade do século XIX. Entre os nomes dos vários autores reconheço apenas dois, Angelica Gorodischer (autora de Kalpa Imperial) e Elia Barceló (autora de O Segredo do Ourives, publicado pela editora Palavra, que esteve em Portugal recentemente por ocasião do Fórum Fantástico). Não encontrei antologia semelhante em língua espanhola, ou teria preferido a comprar uma tradução.

The Black Mirror & Other Stories é, por sua vez, uma antologia que reúne histórias de origem alemã ou austríaca, também a partir da segunda metade do século XIX. Se da anterior conhecia apenas dois autores, deste não reconheço um único nome.

Os restantes livros foram adquiridos na feira do Livro. O primeiro volume de Preacher foi comprado algumas semanas atrás na Feira dos Alfarrabistas que decorre todos os Sábados no Chiado, e foi lido num ápice, tendo-me decidido a adquirir os volumes seguintes.

Um padre é possuído por um ser divino, que lhe confere estranhos poderes sobre os restantes mortais. A sua voz é ordem, e frases como “Go Fuck Yourself” podem ser interpretadas literalmente. O padre segue viagem com a ex-namorada que terá abandonado sem qualquer justificação alguns anos antes. Esta encontra-se também na companhia de um homem de peculiar humor negro, com estranhos hábitos diurnos.

The World of Dark Crystal é da autoria da Brian Froud, contendo imagens das mesmas personagens que podem encontrar no filme de Jim Heson (criador dos Marretas, Rua Sésamo ou Labirinto).

Frederick Pohl é mais conhecido pelas suas obras de Ficção Científica dos anos 60 e 70, entre as quais se podem destacar, Homem Mais (Man Plus, publicado pela Europa-América) ou Gateway (A porta das Estrelas, publicado pela Livros do Brasil).

Jem ou A Construção duma Etopia, foi uma das suas obras nomeada para o Hugo e para o Nebula, publicada em Portugal pela Círculo de Leitores, pela Livros do Brasil e pela Gradiva. Esta é a edição da Gradiva. Segundo a história a Humanidade terá descoberto um planeta habitável. No entanto, este planeta já possui três espécies sapientes, que os humanos tentarão explorar.

A Vida Misteriosa dos Cadáveres, de Mary Roach, foi publicado em Portugal pela Esfera dos Livros. Aquando da sua compra tive oportunidade de ler algumas passagens e pareceu-me ser um livro de temática mórbida e humor negro, um pouco distante daquilo que costumo ler.

The Prince, de Niccolo Machiavelli, é daqueles livros que pretendo ler há vários anos. Talvez uma sátira, O Príncipe é a obra mais conhecida de Niccolo Machiavelli. Publicada após a morte do autor, terá sido com esta obra que se terá cunhado o termo “maquiavélico”.

Neste livro será descrito como um príncipe deverá manter o poder ou como um aspirante a governante poderá subir ao trono – os fins justificam os meios; e qualquer medida poderá ser aplicada.

Esta edição da Penguin faz parte da colecção Great Ideas, que reune alguns dos clássicos que terão ajudado a mudar o Mundo:

Throughout history, some books have changed the world. They have transformed the way we see ourselves – and each other. They have inspired debate, dissent, war and revolution. They have enlightened, outraged, provoked and comforted. They have enriched lives – and destroyed them. Now Penguin brings you the works of the great thinkers, pioneers, radicals and visionaries whose ideas shook civilization, and helped make us who we are.

Desta colecção farão parte obras como O Contrato Social (Jean-Jacques Rousseau – The Social Contract), o Manifesto Comunista (Karl Marx e Friedrich Engels – The Communist Manifesto) ou A Arte da Guerra (Sun-tzu – The Art of War).

The Remains of the Day é um dos livros mais conhecidos de Kazuo Ishiguro, o livro que terá dado origem ao filme com o mesmo nome e que terá ganho o Booker Prize de 1989.

Do autor apenas li Never Let Me Go, um livro de ficção científica que não é apreciado por todos os que o leram. Apesar de entender a posição de quem não gostou do livro (personagens demasiado apáticas), eu gostei, imenso.

Após a leitura de The Man Who Was Thursday decidi-me a ler algo mais do autor. The Complete Father Brown reune as várias histórias de G. K. Chesterton em torno de um padre detective – uma personagem provavelmente baseada numa personagem real.

Finalmente, Gravity’s Rainbow de Thomas Pynchon foi nomeado para o prémio Nebula e venceu o National Book Award. Com cerca de 400 personagens, a obra debruça-se sobre vários temas como a psicologia e a sexualidade, o comportamento ou as teorias da conspiração.

Lançamentos – Fantásticos e FC (2009-04-07)

Guerra das Salamandras, de Karel Čapek, é considerado um dos clássicos de Ficção Científica, apesar de não ser uma das obras mais falada do género. Publicado em 1936, expõe a história de descoberta de salamandras inteligentes que pouco a pouco se vão habituando aos humanos e ganhando algumas das suas características.

Em portugês o livro teve já três edições distintas, duas pela Caminho e uma pela Livros do Brasil.  Vai ter agora uma quarta, pela Europa-América, com uma capa mais apresentável que a edição da Caminho.

Apesar de possuir um tom satírico, com o qual se tornou conhecido ao prever alguns acontecimentos históricos, não é um livro que me tenha deixado grandes lembranças. Ainda assim, aconselhável para os amantes do género Ficção Científica.

O sexto livro de As Crónicas de Allaryia, de Filipe Faria, é o lançamento do mês pela Editorial Presença. Desta saga apenas li os primeiros três e tenho a dizer sucintamente que não pretendo ler os restantes: um misto entre várias histórias fantásticas conhecidas, não me atraiu o suficiente para continuar a leitura pelo dobro dos volumes.

Deixo aqui a sinopse para os potenciais interessados:

Os deuses estão mortos, e a sua queda deixa Allaryia à beira de uma espiral de desordem e destruição. As sementes dos planos d´O Flagelo germinam em segredo, e Aewyre Thoryn e os seus companheiros são os únicos que estão cientes da insidiosa ameaça, bem como os únicos em condições de a combater. Dá-se então início a uma desesperada corrida contra o tempo, enquanto servos renegados de Seltor conspiram para levarem a cabo a queda de Ul-Thoryn. Uma ameaça de tempos imemoriais acerca-se entretanto da Pérola do Sul, ameaçando cortar pela raiz a resistência contra O Flagelo. Este é ponto de viragem da Oitava Era, após o qual nada será como dantes em Allaryia, que neste sexto volume levanta a parada num inesquecível épico de acção e aventura.

Pela Saída de Emergência há que realçar dois lançamentos: Clube de Patifes e o segundo volume de O Caderno Secreto de Leonardo.

O Caderno Secreto de Leonardo, de Jack Dann, é o livro que já tive oportunidade de rever, num outro post.  Publicado em português em dois volumes, reconta a história de Leonardo da Vinci, aproveitando alguns anos não documentados da sua vida, para explorar a faceta de inventor e engenheiro.

Desta forma, desenvolve um Leonardo da Vinci que se terá aventurado no Ocidente e tido a oportunidade de desenvolver e aplicar as suas invenções para as quais apenas conhecemos os esboços em papel amarelado.

Por sua vez, Clube de Patifes (em inglês Crook Factory) um livro de Dan Simons, o mesmo autor de A Canção de Kali (em português publicado também pela Saída de Emergência), um dos melhores livros de horror que já tive a oportunidade de ler.

Clube de Patifes parece, no entanto, ser um livro bastante diferente, quase um misterioso thriller:

Cuba. 1942. Ernest Hemingway descobre um segredo tão perigoso que só há uma fuga possível: o suicídio. Um thriller soberbo baseado em factos verídicos e com uma versão arrepiante para a verdadeira razão da morte do escritor.

No Verão de 1942, Joe Lucas, agente do FBI, chega a Cuba por ordens de J. Edgar Hoover para manter Hemingway debaixo de olho. O famoso escritor reunira um grupo, a que chamara Clube de Patifes, para se envolver num perigoso jogo amador de espionagem. Mas é então que Lucas e Hemingway, contra todas as expectativas, descobrem informações secretas vitais… e o jogo torna-se verdadeiramente mortal. Em Clube de Patifes, Dan Simmons desenvolve os factos conhecidos e transforma-os numa grande obra de suspense histórico nas paisagens sensuais da Cuba dos anos quarenta.

Links (2009-05-02) – Livros Gratuitos / Download

À semelhança do mês passado, foram disponibilizados mais três livros, no mesmo local:

  • Weapons of Choice - John Birmingham
  • Elric: The Stealer of Souls – Michael Moorcock
  • Kiss of Midnight – Lara Adrian

Dos três, apenas Elric, de Moorcock me era conhecido.

Weapons of Choice parece ser um livro algo bizarro. Caracterizado como um thriller com altas injecções de tecnologia, é o primeiro volume de uma trilogia que utiliza como personagens secundárias vários escritores conhecidos como Harry Turtledove, Tom Clancy ou Garth Nix. No mínimo, curioso.

Kiss of Midnight, de Lara Adrian, parece ser mais um exemplar de Fantasia Urbana, apresentando paixões ardentes com vampiros.

Por último, mas mais interessante, é a disponibilização de Warbreaker no próprio site do autor Brandon Sanderson, o escritor escolhido para completar a série de livros de Robert Jordan. Existem várias versões para download, que correspondem às várias edições do manuscrito.

Outros posts com links para livros gratuitos / download

2009-03-14

2009-04-11

Shelves (18)

Joe Haldeman é o autor de alguns conhecidos livros de Ficção Científica, como The Forever War ou The Accidental Time Machine, vários vencedores dos prémios Hugo ou Nébula. Alguns dos seus livros podem ser encontrados em portugês, trazidos pela Europa-América (A Máquina do Tempo Acidental, Camuflagem, Guerra Sempre,  Liberdade Sempre, O Velho Século XX ou Paz Sempre). Mindbridge (de 1977) é um dos livros menos conhecidos de Haldeman, e será a primeira obra que lerei dele.

Nomeado para os prémios World Fantasy e British Fantasy Society em 2006, Vellum, Book of all hours tem recebido excelentes críticas em diversos sites (dando alguns exemplos – SF Reviews, SFF World, Infinity Plus). A sinopse promete uma luta entre o Céu e o Inferno, mas sem vilões nem heróis:

It’s 2017 and the end days are coming, beings that were once human gathering to fight in one last great war for control of the Vellum – the vast realm of eternity on which our world is just a scratch. But to a draft-dodging Irish angel and a trailer-trash tomboy called Phreedom, it’s about to become brutally clear that there’s no great divine or diabolic plan at play here, just a vicious battle between the hawks of Heaven and Hell, with humanity stuck in the middle, and where the easy rhetoric of Good and Evil, Order versus Chaos just doesn’t apply. Here there are no heroes, no darlings of destiny struggling to save the day, and there are no villains, no dark lords of evil out to destroy the world. Or at least if there are, it’s not quite clear which is which. Here, the most ancient gods and the most modern humans are equally fate’s fools, victims of their own hubris, struggling to save their own skins, their own souls, but sometimes…just sometimes…sacrificing everything in the name of humanity.

A saga de Elric (publicada pela Saída de Emergência), ou livros como Behold the Man (Eis o homem, também pela Saída de Emergência) e Mother London, são apenas alguns exemplos da extensa obra de Michael Moorcock.

Gloriana é apenas um dos seus livros premiados, incluído na colecção Fantasy Masterworks:

Gloriana rules an Albion whose empire embraces America and most of Asia. A new golden Age of peace, enlightenment and prosperity has dawned. Gloriana is Albion and Albion is Gloriana; if one falls, so too will the other. And Gloriana is oppressed by the burden this places upon her – and by the fact that she remains incapable of orgasm. The maintenance of the delicate balance that keeps Albion and Gloriana thriving depends of Montfallcon, Gloriana’s Chancellor, and on his network of spies and assassins – in particular on Quire, cold hearted seducer of virtue and murderer of innocence. When Quire falls out with Montfallcon, he forms an alliance with his greatest enemy and conceives a plan to ruin Gloriana, destroy Albion, the empire and the Golden Age itself. But even the utterly ruthless Quire does not fully understand what he has set in motion when he persuades the Queen to fall in love with him… Moorcock’s masterly evocation of Gloriana’s strange and secretive palace and of a vibrant London make this one of his most powerful and memorable novels.

Songs of the Dying Earth é uma antologia a ser publicada futuramente pela Subterranean Press, tendo como cenário, a terra criada por Jack Vance em Tales of the Dying Earth. Aliciada pela homenagem na antologia, na qual participam autores como Dan Simmons, Robert Silverberg, Neil Gaiman, Jeff Vandermeer ou George R R Martin, resolvi adquirir o Tales of the Dying Earth.

A revista Asimov deste mes é um volume duplo, com histórias de vários autores conhecidos: Brian Stableford, Michael Swanwick, Robert Reed e Nancy Kress. Brian Stableford é o autor de Império do Medo. Dos restantes autores, em português, apenas um conto de Michael Swanwick foi publicado. Micheal Swanwick é o autor de The Iron Dragon’s Daughter, e Nancy Kress, a autora de Beggars in Spain e de Dogs.

O livro de Brian Evenson, Last Days, terá sido a força empulsionadora que terá levado Victoria Blake  a deixar a Dark Horse e a fundar a sua própria editora. Ainda que não se pareça enquadrar dentro do género que costumo ler, este é outro caso onde as constantes referências a um livro me fizeram considerar adquiri-lo:

Intense and profoundly unsettling, Last Days is a down-the-rabbit-hole detective novel set in an underground religious cult. Still reeling from his brutal dismemberment, detective Kline is forcibly recruited to solve a murder inside a Fundamentalist society that takes literally the New Testament idea that you should cut of your hand if it offends you. Armed only with his gun, his wits, and a gift for self-preservation, Kline must navigate a gauntlet of lies, threats, and misinformation, discovering that the stakes are higher than he thought and that his survival depends on an act of sheer will.

Depois de ter adorado A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafon, soube ada existência de um livro, do mesmo autor, que decorre no mesmo ambiente, mas vários anos antes. Há quem diga que O Jogo do Anjo está aquém de A Sombra do Vento, mas várias pessoas me disseram tratar-se de algo ainda melhor.

Finalmente, continuo a adquirir as versões de The Dark Tower, no sentido de dar uma nova oportunidade ao tão falado Stephen King, cujo livro Insónia, me deixou tão negativamente marcada: um livro ao qual menos 500 páginas não fariam diferença, onde se repete sem fim um mesmo cenário.

Waltz with Bashir é a graphic novel corresponde ao filme de mesmo nome que não tive, ainda, oportunidade de ver. Provavelmente, a graphic novel irá esperar a visualização do filme antes da leitura.

Shelves (16)

Tanto Fábula de Bagdad como 1602 eram dois comics que procurava há muito. Com o primeiro rendi-me à inexistência de uma versão inglesa nas lojas circundantes, do segundo consegui encontrar uma versão inglesa completa, hoje.

Fábula de Bagdad, ainda que engraçado, deixou-me algo desiludida pelo pequeno tamanho da história e pelas expectativas acumuladas com a leitura de vários comentários positivos.  1602 comecei a ler assim que cheguei a casa, intercalando com o The Curious Case of Benjamin Button.

Este último é o livro de F. Scott Fitzgerald, que inspirou o filme premiado com três óscares. Publicado em 1921, encontra-se disponível em vários sites, como Wikisource, ou Project Gutenberg.

The Man Who Was Thursday, de Chesterton, foi publicado em 1908 e as várias referências ao livro parecem ter alguma dificuldade em transmitir algo de concreto sobre o género de história que se esconde por detrás da capa:

The Man Who Was Thursday: A Nightmare is a novel by G. K. Chesterton, first published in 1908. The book has been referred to as a metaphysical thriller. Its importance was recognized in its later revival in paperback by Ballantine Books as the thirty-second volume of the celebrated Ballantine Adult Fantasy series in July 1971.

The novel has been described as “one of the hidden hinges of twentieth-century writing, the place where, before our eyes, the nonsense-fantastical tradition of Lewis Carroll and Edward Lear pivots and becomes the nightmare-fantastical tradition of Kafka and Borges.”

In Wikipedia

Este é outro livro que poderão encontrar disponível em Project Gutenberg.

Depois de ler Cat’s Cradle e Slaughterhouse Five de Kurt Vonnegut,  Breakfast of Champions entrou na lista das possíveis leituras dos próximos tempos.

2666 de Roberto Bolano será um dos livros mais falados de 2008, senão o mais falado, tendo atingido a lista dos 10 melhores livros de 2008 no New York Times. De repente, surgiram várias críticas, comentários e referências em vários blogs e sites a 2666 e outros livros do autor. Autor Chileno, Roberto Bolano ganhou o prémio Rómulo Gallegos com Los Detectives Salvajes.

The Confusion é o segundo volume de uma extensa trilogia de Neal Stephenson, The Baroque Cycle, publicada em Portugal pelas Edições Tinta da China. Este era o único dos três que me faltava e poderei começar brevemente a leitura das milhares de páginas que compõem a série.

The Gone Away World é o primeiro e único livro de Nick Harkaway publicado. Ainda que as várias críticas não me tenham cativado, basta ler um pequeno resumo para perceber porque peguei no livro:

A wildly entertaining debut novel, introducing a bold new voice that combines antic humor (think Joseph Heller and Kurt Vonnegut) with a stunning futuristic vision (à la A Clockwork Orange and 1984, with a little Mad Max thrown in) to give us an electrifyingly original tale of love, friendship, and the apocalypse.

Equal parts raucous adventure, comic odyssey, geek nirvana, and ultra-cool epic, The Gone-Away World is a story of—among other things—love, pirates, mimes, greed, and ninjas.

Dos livros aqui referenciados, On The Road parece ser aquele que mais se distancia daquilo que costumo ler: uma obra autobiográfica, baseada nas viagens do próprio autor, Jack Kerouac. Porque o comprei? Talvez parecer tão diferente.

Finalmente, The Horror Stories of Robert E. Howard reúne vários contos do autor, algumas com as suas personagensmais conhecidas, Solomon Kane ou Bran Mak Morn; e A Sombra do Vento é o primeiro livro de Carlos Ruiz Zafón, que rapidamente se tornou um best-seller internacional. Fosse outro livro, provavelmente o facto de ser um best-seller ter-me-ia afastado:

Numa manhã de 1945 um rapaz é conduzido pelo pai a um lugar misterioso, oculto no coração da cidade velha: o Cemitério dos Livros Esquecidos.

Aí, Daniel Sempere encontra um livro maldito que muda o rumo da sua vida e o arrasta para um labirinto de intrigas e segredos enterrados na alma obscura de Barcelona.

Para mais informações sobre o livro podem consultar o site oficial.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 36 outros seguidores